Ouro para o bem do Brasil
















Ouro para o bem do Brasil.
Zé Caparica
Bom dia. Hoje eu gostaria de contar para a maioria das pessoas uma
história que aconteceu no Brasil quando eu era criança. Como a idade
avança e a memória atrofia, procurei, revirei e remexi a internet do
avesso e não achei nada que se referisse ao assunto, para que eu
pudesse dar informações mais precisas. De qualquer forma, serei
sempre grato a qualquer pessoa que escreva para mim, contando quem
e por que fez isso. Isso o que? A campanha “Dê Ouro Para o Bem do Brasil”.

Lá pelos idos de 1964 e 1966, se não me falha a memória.Funcionava assim:
o Brasil estava sem lastro, precisava de algum. Ditadura militar instalada,
foi simples. Chamaram o povo ao seu dever cívico de se desfazer de qualquer
coisa de ouro e doar voluntariamente. O voluntariamente é necessário, pois
não se tratou de uma atitude arbitrária do governo, onde todos fossem
obrigado a “doar”, o que caracterizaria um saque. Pior que isso, foi uma
chantagem sem vergonha, que incutiu na cabeça do povo que aquele caminho
era o certo, que a gente tinha mais é que cortar na própria carne.

Servia qualquer coisa. As pessoas para lá se dirigiam e, uma a uma, iam
jogando seus ouros no saco que o governo providenciou. Alianças, brincos,
correntinhas, anéis, crucifixo, pulseiras e qualquer outra coisa, em troca de
um anelzinho de metal vagabundo com a frase lapidar: “Eu dei ouro para o
bem do Brasil”. Mas, pra variar, no dia em que lá estivemos os anéis tinham
acabado. Ou seja, a gente dava ouro para o bem do Brasil e nem tinha anelzinho
de metal vagabundo para recompensar, ou mesmo mostrar para os outros.

Eu gostaria de poder discutir ou analisar, com a distância que só o tempo
proporciona. Mas realmente não é fácil. De qualquer maneira me lembro
que, todos bonitinhos, fomos, meus pais e irmãos, levar umas pecinhas de
ouro para doar. Na fila a alta sociedade, talvez a única com algum ouro para
dar ao Brasil. Brincava com os filhos de um ou de outro amigo do meu pai.
Era uma festa. Como numa eleição, o sujeito ia até o “saco”, jogava dentro
eu ouro, e passava para pegar o anelzinho. Quanto rendeu de ouro? Não
tenho a menor idéia e acho que ninguém teve. Minha mãe acha que não foi
muito, mas apenas o fato do governo fazer uma coisas dessas... Meu cunhado
chorou, me disse a pouco, por não ter, naquela época, nem uma pecinha de
ouro para doar para o bem do Brasil. Veja só.

Vamos analisar por outro lado. Vamos imaginar que Lula e Palocci
exagerem no vatapá e tenham a idéia de fazer isso de novo. Já chamavam
o publicitário Duda Mendonça, e a campanha ia correr solta. Já estou vendo
o outdoor: “Só o seu ouro pode salvar o País”. Se não colar, pode sair com
essa: “Só o seu ouro pode salvar a seleção brasileira”. Daí é fatal.Convocados,
o povo brasileiro iria desconfiar. Ao contrário dos meus pais e de outros
bobocas (no bom sentido, claro) que saíram de casa para levar o ouro ao
bandido, não creio que isso aconteça hoje. Um pouco pelo mesmo motivo de
outrora, ou seja, o povo não tem ouro pra dar mas, principalmente, porque
o povo não confia no governo que tem. Para qualquer solicitação, a resposta
erá sempre NÃO!

E os ricos falarão NÃO pela mesma razão: tenho, mas não vou te dar, tá?Os
impostos são, na verdade, ouro puro em moeda corrente. Quem não se
preocupa com o imposto que paga, ou é desinformado ou tem fé cega nos
governantes. Não deveriam. Em cada 1 real gasto num frasco de detergente,
18%, ou R$ 0,18, vão parar no cofre do governo. Imagine agora tudo o que
se compra e vende no Brasil. Nós pagamos imposto demais para serviço de
menos.

Esse governo Lula, imitando os demais que antes dele por lá
estiveram desde a Proclamação da República, não têm pendor para divulgar
contas, explicar onde foi gasto o nosso dinheiro. Lógico que tem onde procurar.
Procure o Tribunal de Contas da União e peça pra ver. Se conseguir entender
ganha um doce. Na hora de recolher impostos os pobres servem. Para ler a
prestação de contas tem que ser doutor.O povo chegou ao limite do descrédito
em qualquer governo.

Ainda salvam alguns prefeitos que tem o eleitor a vigiá-lo mais de perto. Lula
está com seu prestígio mais esfrangalhado que o topete do Itamar Franco. Fez
tantos conchavos que agora não sabe se enfrenta ou se entrega aos bandidos.
Ainda bem que alguém tem prestígio por lá, pois eu não vou doar meu ouro
(acho que teria que comprar algum se quisesse fazê-lo) enquanto não me
explicarem onde foram parar as alianças de papai&mamãe. E quantos quilos
de ouro eles levantaram. E em que cofres foram parar. E quem eram os donos
dos cofres também. Até amanhã.

http://cronicasepalpites.blogspot.com/2006/01/ouro-para-o-bem-do-brasil.html
Posted by Picasa

4 comentários:

Duda Lessa disse...

Olá, estive com um anel desses em minhas mãos esses das e curiosa fui atrás de notícias na Net sobre essa campanha. Eu ainda não havia nascido ( sou de 71) mas descobri que só em SP foram arrecadados mais de 400 kg de ouro e mais de meio bilhão de cruzeiros... Publiquei a reportagem do jornal o Cruzeiro em meu blog ( www.dudalessa.blogspot.com) fique a vontade de aparecer por lá para ler o texto na integra.
Abraço,
Duda

Reinaldo Barros. disse...

Olá Duda, obrigado pela sua participação. O pior é que ninguém sabe que destino foi dado a esse ouro.Coisas do Brasil, de ontem e de hoje.

Anônimo disse...

OI
Outro dia eu falei para algumas pessoas neste episodio,e so não fui "linchada" por pouco ,nunca ningeeeem tinha ouvido falar desta campanha.
Mas eu tenho memoria e lembro dos acontecimentos.
Vou pedir que visitem esta pg.
Luiza Carnette
E-mail:luizacarnette@pop.com.br

jorge disse...

eu gostaria de saber mais ou menos quanto foi arrecadado no brasil inteiro